Umumbigo


do princípio
Janeiro 21, 2012, 8:35 pm
Filed under: de ler | Etiquetas:

“Lugar, porém, não era tudo. Faltava o tempo, já que nos coube viver numa terra imensa, mensurável, no entanto, de ondes e de quandos, tudo devidamente averiguado pelos porquês. E de que paredes? Ao que parece, do anti-espaço e do anti-tempo. O mundo, lá, recua ao nada e, se eu pudesse voar do além para o aquém, jamais veria o princípio do mundo, mas ele todo já sendo. Donde a necessidade de lhe inventar um início, como se fôssemos nós próprios a fazê-lo, com nossos pobres meios: ou nos resignamos a considerá-lo sempre feito ou recorremos, como terroristas, à explosão de um corpo de cujo constituto não temos ideia alguma.”

Caderno de Lembranças, Agostinho da Silva

Anúncios


pela trança de Lucília
Janeiro 17, 2012, 9:22 pm
Filed under: nostalgias

I

Maria pés de algodão casou-se com Petrúcio. A filha, Mariana, teve Lucília na igreja. Debaixo do altar. Lucília vestia vestidos azul petróleo e aos dezassete anos foi miss Ílhavo. Ílhavo não é Portugal ou mesmo a Península com ilhas e mares, mas é alguma coisa, pensou Mariana.

Maria olhava pela janela e suspirava de tempos a tempos, enquanto a compota borbulhava ao lume, em açúcar-fogo e alguma serenidade. Viu passar Lucília, que caminhava quando conheceu João Piedade. Falaram de rejeição e também das mães. O mundo pareceu esperar enquanto pisaram as ervas do caminho e João foi queimando com o fósforo o que arrancava metodicamente da berma da estrada, num jeito de mania de criança e de adulto nervoso.

A chama, o verde que fica negro, o fumo que passa de mansinho pela trança de Lucília. Enquanto o céu escurecia, o açúcar na panela endureceu.