Umumbigo


Bianca
Junho 17, 2012, 9:14 pm
Filed under: nostalgias

XI

Havia tanta estrada. Bianca conduzia depressa e de vidros abertos até ao fim possível. Não se apercebia que o ruído ensurdecia. Suspeitava que haveria compota fresca de amoras como na última vez que visitara a casa, a mãe, o quintal, o pai e as irmãs.

Chegou a um café muito próximo – não o da rua de sua casa, aí os homens eram mais ruidosos e a água servida da torneira-, onde compraria cigarros. Os olhares eram fugidios.

– Lamento muito.

(É um pântano de tristeza. Viscosa, que pega e não larga.) Deram-lhe um abraço constrangido e  enrolaram-lhe o rosário entre os dedos finos de unhas felinas, cor de âmbar.

– Força, eh?

Sorriu e caminhou discreta, como nunca antes, até ao carro. Consequentemente inconsequente, conduziria até gastar todo o combustível,  num descampado a quilómetros de distância de vida humana. Tinha o rosário e, possivelmente, alguns rebuçados de mentol.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: