Umumbigo


infraleve
Setembro 9, 2012, 11:07 pm
Filed under: de ler | Etiquetas:

“Vílnius e Débora tinham começado a ser uma sociedade que não se dedicava a nada em concreto, talvez porque desejava evitar qualquer possibilidade de fracasso e talvez porque, além disso, fosse uma sociedade que se sentia atraída pelo infraleve, por todas aquelas coisas – pensemos num sabão que escorrega, por exemplo – que são, por um lado, tão indeterminadas e, por outro, tão específicas; são tudo ao mesmo tempo, como a própria vida.

O infraleve era, para eles, o roçar de umas calças ao caminhar, um desenho em vapor de água, um bafo sobre o vidro de uma janela.”

Ar de Dylan, Enrique Vila-Matas

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: