Umumbigo


ilhéu
Janeiro 1, 2013, 11:51 pm
Filed under: nostalgias

XVI

Olinda era mulher de muitas palavras. Como ondas de mar quente, que conforta, falava com todos com amor e alguma compaixão. Damião vivia num ilhéu no Pacífico. Os dois casaram-se aos vinte e pouco e, hoje

– Dói.

Durante muito tempo, Olinda escrevia-lhe cartas semanais, perguntando pela pesca e pela lua. O tempo e as escassas respostas levaram-lhe a rotina.

Paulatinamente, abateu-se pela razão. Afinal, Damião era casado mas curioso e incauto, vivendo num azul impossível onde contrasta a pele morena das mulheres. Que combinação resultaria pior?

Lá fora, o sol ainda queimava quando desenformou o bolo de alperce. Violeta iria gostar do gesto, e Olinda sempre sentia falta de conversar entre as pausas do café da tarde.

(Para 2013: escrever todos os dias)
Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: