Umumbigo


arranhão
Fevereiro 25, 2014, 5:00 pm
Filed under: nostalgias

LXXXIX

Petrúcio viu um arranhão na mão ao ensaboar-se. Como fizera aquilo? Tinha na mão um traço reto de sangue coagulado. O que significa que rasgara a pele, sangrara, e não reparara. O que estaria a fazer para estar tão ocupado sem reparar que na pele morena do sol corria um rio vermelho à escala da mão? Sem Maria, não atentava a si. Preocupava-se neste preciso instante se atentava aos outros.

Corre assim que se seca e veste a ver Mariana e Lucília. Olha-as com exímia atenção – a testa de Mariana tem já uma ruga, a de Lucília lisa, os olhos de ambas limpos, os de Mariana menos abertos ou apenas cansados, os lábios de Lucília gretados, tens que parar de molhar os lábios com a língua para vê-los secar ao vento, os pescoços brancos, os pés seguros. O susto depressa avolumando-se em alívio.

– Tens um sapato roto, Lucília – sussura enquanto lhe passa a mão pelo cabelo.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: