Umumbigo


promessa
Março 12, 2014, 3:27 pm
Filed under: nostalgias

CIII

– Uma promessa é uma coisa muito importante.

Acordou com a clara ideia de exterminar todos as teias de aranha nos cantos das divisões. Como se limpasse o avesso de si próprio. Arrumar tudo para começar fresco e novo. Cantar a aspirar as cores e aromas e odores. Dar a volta à casa e à vida e a tudo isso que é já tanto.

Petrúcio pega na vassoura com a força com que usaria a enxada no campo. Vai um furação de pó e determinação. Repete a promessa mentalmente: um dia, não podendo eu, podes tu, promete. Maria por vezes cortava o ar com essa mesma frase. E não poderia hoje aqui, certamente. Não poderia o quê? A casa, os afetos, as filhas? E quem poderia ele mesmo? Distrai-se ao pensar que Maria também dizia muitas vezes e certa da certeza disto tão simples: o que arde cura, o que aperta segura.

Para cumprir a promessa (sempre prometeu), começa então a por ordem na casa. Limpar teias e feridas para que cicatrizem bem – o que arde cura – abraçar depois as filhas muito, uma a uma, como nunca o fizera – o que aperta segura. Há uma certeza muito certa nisto tão simples.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: