Umumbigo


horto
Março 25, 2014, 2:40 pm
Filed under: nostalgias

CXVI

Sempre gostou de horto-grafia. Escrevia madalenas e acentuava ervas aromáticas com a destreza de quem sempre o fez e viu fazer. Petrúcio escrevia todas as manhãs, sem exceção. A exceção tinha existido uma única vez, na manhã do luto de Maria, e durante a tarde sentiu a gritante urgência de voltar à horta. E foi o que fez. Escrever plantas ou arrancar verbos daninhos enquanto rimava amores-perfeitos fazia-lhe sempre suar e transpirar os medos e alegrias da vida. Era um exercício de higiene pessoal, na verdade, como lavar as mãos e a cara. Se não o fizesse, tudo o que é sujo vinha ao de cima.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: