Umumbigo


pinheiro
Abril 21, 2014, 10:36 pm
Filed under: nostalgias

CXLIII

O pinheiro manso não é manso. Cresce violento e feroz. Bravo. Agitando as agulhas desassossegadas, quase feras atiradas ao chão. Quase águias agressivas voando no ar. Dominando o ar. Cortando o ar com velocidade ameaçadora.

– Malcriado.
– Falas com quem?
– Com ele. – Luís olhando o pinheiro.
– Desconfio dos bem criados. – Lucília apanhando uma pinha.
– Não podes chamar-te manso e assobiar com o vento da noite com imponente susto.
– Chamo-me Violeta e sou talvez cinzenta.
– Para mim és violeta, Violeta.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: