Umumbigo


fogo
Maio 9, 2014, 3:58 pm
Filed under: nostalgias

CLXII

Ao atear um fogo tinha um propósito muito claro: ver a chama crescer, ouvir a primeira sirene e fugir. Damião não sabe enumerar estes três motivos sem corar de vergonha. Sabe que o crime é punível com razão, não sabe como fugir do propósito muito claro que eclode na cabeça e nas mãos e não foge realmente, ou foge só depois de ver a chama crescer e ouvir a primeira sirene. A maior fuga deu-se há vários anos quando navegou até à ilha do Pacífico, onde o mar inunda tudo o que pode arder e alimenta a cabeça com pesca de peixes exóticos e de mulheres contentes. De regresso à aldeia, pensa na reação de Ondina ao revê-lo, ao reaprenderem a viver, e ao mesmo tempo nas árvores altas em chama, a reaprenderem a arder.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: