Umumbigo


armas
Junho 20, 2014, 1:27 pm
Filed under: nostalgias

CCIV

Segurar o olhar em alguém que nos desafia é realmente desafiante. Segurá-lo implica não piscar os olhos, não desviar os olhos, não submetê-los. Se há vento e areia no ar, o caso fica difícil.

Assim foi entre Guida e Mar, na praia, onde sempre os podemos encontrar, quando Mar tentou pela primeira vez assustar só com dois olhos fixos nela, depois das palavras não surtirem efeito e antes que alguma das mãos se erguesse no ar e não seria para acenar a alguém. Guida olhou-o de volta, muito segura e muito trémula, segura para ele, naturalmente, trémula só para si, ainda bem, e não quebrou ao olhar com os seus olhos fixos os olhos contra quem lutava, contra Mar, contra os olhos duros de Mar, contra o vento, contra a areia, contra Mar, acima de tudo contra ele.

Mar soube aí que estava perante uma mulher de armas no olhar.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: