Umumbigo


dragões
Outubro 11, 2016, 8:14 am
Filed under: poesia

Sentei-me na varanda

aberta para a noite morna

imaginando os tempos

dos dragões que cuspiam

fogo e luz

– cai uma estrela ofuscante

aos meus pés.

Não sei admirar a beleza

nem dar-lhe utilidade.

Na minha imaginação só

ensinei a viver dragões

que incendeiam tudo e

começam por mim.

 

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: