Umumbigo


Olhos
Dezembro 13, 2016, 9:13 am
Filed under: poesia

Agarro-me aos teus olhos para não cair
mesmo que saiba que a gravidade irá molhar
a boca vermelha para me engolir inteira
a mim que queria só aninhar-me na tua
pálpebra com veios azuis e colocar
as mãos sobre o peito de palpitação extinta
– descansar do dia demasiado grande
e o pulmão tão ínfimo, tão frágil como porcelana
o fôlego a transbordar o alvéolo
os olhos assustados
os meus de pupilas do tamanho da pergunta
os teus que parecem saber tudo e ainda assim amam.

Por isso escalei para me pendurar neles, era
só aninhar-me na tua pálpebra com veios azuis.

Chego ao chão quase sem tempo para pedir
que beijes os meus olhos
finalmente fechados.

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: